Por que me confessar? E Quais os efeitos do Sacramento da Confissão?


A Penitência é um sacramento que nos auxilia na caminhada nesta estrada difícil rumo ao céu. Jesus veio ao nosso mundo para tirar o pecado; como disse São João Batista, “Ele é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (Jo 1, 29). O Filho de Deus não veio a este mundo para outra finalidade, senão esta. E para isso pregou o Evangelho da Salvação, instalou o Reino de Deus entre nós, instituiu a Igreja para levar a cabo esta missão de arrancar o pecado da humanidade, e morreu na Cruz, para com sua morte e ressurreição nos justificar diante da Justiça divina.

 

 

Com o preço infinito de Sua Vida, Ele pagou o nosso resgate, reparou a ofensa infinita que nossos pecados fazem contra a infinita Majestade de Deus. E deixou com a Sua Igreja a incumbência de levar o perdão a todos os que crerem no Seu Nome. É por meio da Confissão (= Penitência, Reconciliação) que a Igreja cumpre a vontade de Jesus de levar o perdão e a paz aos filhos de Deus.

Infelizmente muitos católicos ainda não se deram conta da importância capital da Confissão, que só na Igreja Católica existe. Quando se derem conta da sua importância, os sacerdotes não terão sossego…

Há mais de 50 anos me confesso, e o faço pelo menos uma vez por mês, porque acredito nas palavras de Jesus e da Igreja: “a quem perdoardes os pecados, os pecados serão perdoados”.

Nunca tive dificuldades para me confessar. É claro que contar as suas quedas a um homem como você, é constrangedor e até um pouco humilhante. Mas é uma “sagrada humilhação”; que nos faz bem. São Francisco de Sales dizia que “a humilhação nos torna humildes”.

Na pessoa do sacerdote da Igreja, legitimamente ordenado, está o próprio Jesus, que age nele “in persona Christi”, para lavar a sua alma com o Seu Sangue; e o sacerdote está terminantemente proibido de contar, a quem quer que seja, o que ouviu na Confissão. É o sigilo da Confissão. Ele pode ser excomungado da Igreja se revelar o pecado de um fiel.

Além disso, é bom confessar-me com um homem, pecador como eu, mais ou menos, porque assim ele me entende. O difícil seria me confessar com um Anjo, que não tem pecados. Gostaria de dizer aqui que nestes anos todos de minha vida, de Confissão frequente, nunca me senti maltratado, humilhado ou menosprezado em uma Confissão; ao contrário, sempre senti-me acolhido nos braços do Confessor, como se fosse os próprios braços de Cristo a me levar de volta para a casa do Pai..

Assista também: A importância da confissão

O Confessor é o como aquele bom pastor que resgata a ovelha do abismo do mundo, a coloca nos ombros e a leva para o aprisco seguro. É uma grande graça que o Bom Pastor deixou para as suas ovelhas.

Somente a Igreja Católica recebeu e guardou esta riqueza para você, e espera que você não a despreze, pois afinal custou a vida de Nosso Senhor.

O Sacramento da Penitência, chamado também de Confissão, é portanto, o meio ordinário que Jesus deixou para a nossa santificação.

Impressiona-me, profundamente, observar que o primeiro ato do Senhor, após a Ressurreição, no mesmo dia desta, foi instituir o Sacramento da Penitência.

É muito importante notar que esse foi o “primeiro ato” de Jesus após a Ressurreição: delegou aos Apóstolos o poder divino de perdoar os pecados: “a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados…” Não resta a menor dúvida!

Juntamente com a Eucaristia, a Penitência é um sacramento da caminhada nesta estrada difícil rumo ao céu. O Senhor sabe da nossa miséria e fraqueza, então providenciou o remédio salutar. Se meditássemos profundamente neste grande mistério, e conhecêssemos toda a miséria da nossa alma, faríamos como alguns santos que queriam se confessar diariamente…

Quais os efeitos do Sacramento da Confissão?

“Os efeitos espirituais do sacramento da Penitência, conforme o Catecismo ( §1496) são:

1 – a reconciliação com Deus, pela qual o penitente recobra a graça;

2 – a reconciliação com a Igreja;

3 – a remissão da pena eterna devida aos pecados mortais;

4 – a remissão, pelo menos em parte, das penas temporais, sequelas do pecado;

5 – paz e serenidade da consciência, e consolação espiritual;

6 – o acréscimo de forças espirituais para o combate cristão.

Veja quantas bênçãos nos traz este sacramento. Certa vez o Papa João Paulo II disse que “os consultórios dos psiquiatras estão lotados, porque os confessionários estão vazios”.

A Confissão cura a mente e põe a paz no coração, pois cura as chagas da nossa alma. Além disso, faz crescer em nós as forças espirituais para sermos fiéis a Deus.

Sem o auxílio do sacramento da Penitência não podemos almejar a santidade, uma vez que, após o pecado mortal, é através desse sacramento que podemos obter a reconciliação com Deus e com a Igreja (Cat. § 1497).

É de todo lamentável que muitos batizados se afastem desse Sacramento que significa a maior das misericórdias de Deus para conosco – o perdão de nossos pecados, que são o câncer de nossa alma. Fico pensando se um canceroso soubesse que existe o remédio fácil e disponível para a sua cura, mas se recusasse a tomá-lo… Seria uma loucura inexplicável; pois bem, é exatamente assim que fazem aqueles que se afastam deste augusto Sacramento.

Podemos resumir os efeitos espirituais do sacramento da Penitência como se segue:

A reconciliação com Deus, pela qual o penitente recobra a graça; volta à amizade e à comunhão com Deus. “Toda a força da Penitência reside no fato de ela nos reconstituir na graça de Deus e de nos unir a Ele com a máxima amizade” (Cat. R. 2,5,18).

A reconciliação com a Igreja; o Corpo de Cristo onde estão inseridos todos os batizados, e com quem Cristo vai celebrar as bodas eternas na casa do Pai, reintegra o pecador no rebanho de Cristo.

A remissão da pena eterna devida aos pecados mortais concede ao pecador o estado de graça; sem ele, pode o pecador impenitente chegar a uma vida eterna longe de Deus, no estado de vida chamado de inferno; frustração total.

A remissão, pelo menos em parte, das penas temporais, sequelas do pecado, são as penas temporais devidas aos pecados já perdoados; se não forem cumpridas nesta vida poderão ser cumpridas no Purgatório.

A paz e a serenidade da consciência e a consolação espiritual dá sossego, equilíbrio e felicidade ao cristão; ele não carrega mais o sentimento de culpa que tanto mal faz às pessoas. Os que recebem o sacramento da Penitência com coração contrito e disposição religiosa, “podem usufruir da paz e tranqüilidade da consciência, que vem acompanhada de uma intensa consolação espiritual” (Conc. Trento, DS, 1674). O sacramento da Reconciliação com Deus traz consigo uma verdadeira “ressurreição espiritual”, uma restituição da dignidade e dos bens da vida dos filhos de Deus.

O acréscimo de forças espirituais para o combate cristão, são não só perdoa os pescados, como cura a nossa alma e a fortalece na luta contra as paixões desordenadas.

Prof. Felipe Aquino

Fonte https://cleofas.com.br/por-que-se-confessar/

 

VEJA MAIS AQUI:

 

Quais os efeitos do Sacramento da Confissão?

https://cleofas.com.br/os-efeitos-do-sacramento-da-confissao/

Preparando o coração para uma boa confissão

https://cleofas.com.br/preparando-o-coracao-para-uma-boa-confissao/

Tire suas dúvidas sobre o Sacramento da Confissão

https://cleofas.com.br/tire-suas-duvidas-sobre-o-sacramento-da-confissao/

A importância da confissão

https://cleofas.com.br/a-importancia-da-confissao/

 

 

A BÍBLIA ENSINA QUE DEVEMOS NOS CONFESSAR À UM PADRE:

Por que confessar a um padre, se Cristo é nosso único mediador? Pergunta o protestante. Todo Católico deveria saber a resposta a esta pergunta sob o ponto de...

A Igreja pode perdoar os pecados? O que diz a Bíblia?

O pecado é infidelidade e injúria a Deus: somente Deus pode perdoá-lo. Mas Jesus, que é Deus e tem o poder de perdoar os pecados (Mc 2,7-12) concedeu à sua...