Por que não podemos mendigar amor?


Somos carentes de dar e receber amor, mas não podemos obrigar as pessoas a nos amarem. Amor é doação; ninguém pode se sentir obrigado a dá-lo ao outro. O sentimento livre constrói pontes e nos leva ao encontro das pessoas.

Amar e ser amado são as maiores necessidades do ser humano. Uma vida sem amor é comparada a uma bela flor trancafiada num quarto escuro, em pouco tempo perecerá por falta do sol. A necessidade de amar nos faz dependentes uns dos outros e nos mostra que a solidão é o prêmio dos covardes, dos que temem a dor e se privam de experimentar o amor.

Somos carentes de dar e receber amor, mas não podemos obrigar as pessoas a nos amarem. Amor é doação; ninguém pode se sentir obrigado a dá-lo ao outro. O sentimento livre constrói pontes e nos leva ao encontro das pessoas.

Mendigamos amor quando deixamos de ser quem somos para agradar quem exige que nos tornemos a pessoa que ele quer que sejamos. O verdadeiro amor reside no respeito à individualidade do outro. Se é verdadeiro, sabe respeitar a individualidade. Sempre que abandonamos nossa casa interior para habitar a casa do outro, estamos, de certa forma, mendigando amor, deixando de ser aquilo que realmente somos.

Imploramos por afeto quando traímos nossos ideais para abraçar os sonhos frustrados de alguém. É como a jovem com futuro promissor que desiste de estudar para viver uma aventura desnaturada com um homem que diz amá-la. Quem desiste de sonhar com coisas reais para viver um conto de fadas certamente está também implorando amor.

A CASTIDADE NOS ENSINA A AMAR

Nós nos humilhamos por amor quando deixamos de lado as pessoas que nos são especiais para correr atrás de um amor desfigurado; belo por fora, mas pobre por dentro. Há muitos que deixam suas casas e partem em busca das caricaturas de amor que o mundo oferece. Confundem prazer com amor, com felicidade. Geralmente, abandonamos quem nos ama de verdade para ir atrás de quem nos vê como objetos.

“Somos carentes de dar e receber amor, mas não podemos obrigar as pessoas a nos amarem.”

Mendigamos amor quando reservamos todo nosso tempo para a pessoa que dizemos amar. Quem deixa de cuidar de si para cuidar de alguém mostra que, na verdade, está precisando mesmo é de cuidados. Desconfie das pessoas que só vivem para ajudar. Atos de caridade são excelentes, mas primeiro precisamos cuidar da nossa casa, para só depois ajudarmos o outro a arrumar a dele também. Mendigar amor é ter tempo de sobra para o outro e não ter tempo para si.

Quando caímos no desespero por termos sido abandonados por alguém que dizia nos amar, estamos mendigando amor. Não é fácil perder as pessoas que amamos, mas é preciso enfrentar a dor sem fingir que ela não existe. Demoramos para aceitar nossas perdas e, por isso, sofremos além da conta. Ficar preso a quem quer que seja é o sinal mais visível de que ainda somos pequenos aprendizes.

Ninguém merece viver uma vida de miséria. O amor que nos espera é repleto de realização, por isso merece ser encarado de forma madura, consciente e despojado de posses. Comumente, vemos pessoas dizendo amar, mas ainda vivem presas ao ser amado. Não sabem fazer nada senão em virtude do outro. Aprendi com a vida que amar é bom, mas para o amor ser verdade é preciso, antes, avaliar se o que sinto por alguém é amor ou desejo de posse. Se a resposta for a segunda, preciso admitir que tenho muito a aprender.

Uma mulher não precisa pedir nem mendigar amor

Você não precisa pedir nem mendigar amor, você merece ser amada pelo que é

Todos nós, seres humanos, almejamos amar, ser amados e temos também a necessidade de sermos aceitos. É intrínseco ao ser humano desejar a aprovação do outro, por isso a desaprovação e a rejeição nos causam tanto sofrimento. No entanto, precisamos entender que as pessoas pensam de forma diferente e podem ter desejos opostos aos nossos, portanto, nem sempre seremos prioridade para aqueles que o são para nós.

A luta de uma mulher sábia, virtuosa e consciente deve ser a de saber lidar com suas frustrações e, por mais doloroso que isso seja, aprender a superá-las.

Quando uma relação a dois chega ao fim, e isso pode acontecer por inúmeros motivos, sem dúvida, o mais difícil é aceitar que a outra parte já não nutre por nós o mesmo sentimento de antes e, por inúmeras razões de foro íntimo, chega à conclusão de que não é mais ao nosso lado que deseja estar. Assim sendo, escolhe seguir sua vida por um outro caminho ou ainda ao lado de uma outra pessoa.

Rejeição

O sentimento de rejeição é sempre um dos mais dolorosos para o ser humano, pois todos queremos nos sentir aceitos e amados por aqueles a quem escolhemos amar. No entanto, não podemos nunca esquecer que amar é uma escolha, uma decisão unilateral, que fazemos sem ter garantias de que o outro fará a mesma opção por nós. Portanto, podemos “escolher amar alguém” sem sermos correspondidas por ele. Precisamos ter claro que amar não é ter posse do outro; ao contrário, amar é querer o melhor para o outro e deixá-lo livre para fazer suas escolhas. Quem ama de verdade não deseja aprisionar o ser amado.

Por essa razão, quando isso acontecer, por mais que nos doa, não devemos nos expor nem nos humilhar. O amor não acontece por pedidos ou insistência, nem por pena. Declarações de amor, para alguém que já deixou claro que não corresponde a esse sentimento, são totalmente infundadas. Não vale a pena implorar amor, é preciso respeitar a si mesma, respeitando a vontade do outro. Cuide também para não entrar num movimento de se comparar aos outros e, em tudo o que for viver, procure dar sempre o seu melhor e permita ao outro seguir seu caminho.

Não se deixe abalar

Não deixe que isso a transforme numa mulher revoltada e de mal com a vida. Não é porque você não é amada como gostaria, que vai deixar de se amar e amar a própria vida. Olhe-se por inteiro, busque a beleza que existe no fundo de seu ser e dê vazão aos seus bons sentimentos, mantendo-se bem com si mesma, por mais que sua alma ainda sofra.

Saiba que você não é mercadoria para ser trocada! Por isso, tome posse de si mesma, do seu valor e da sua dignidade como pessoa! Erga sua cabeça e siga em frente. Tenha em mente que decepções fazem parte da vida. Se você errou, perdoe-se; se alguém errou com você, use de misericórdia e deixe de alimentar desejos de vingança em seu coração.

É muito difícil sentir-se rejeitada pela pessoa a quem se ama, no entanto, pior é ficar esperando que isso mude, ou seja, que, por alguma razão, essa pessoa volte a gostar de você novamente. Pessoas que paralisam as próprias vidas – na esperança de transformar desprezo em amor – optam por ampliar seu sofrimento. O momento é de dar a volta por cima, não para mudar a opinião do outro ou das pessoas ao seu redor; mas essencialmente para você. Portanto, desvie sua atenção para outras coisas, tome um tempo para si mesma, para rezar, para estar com seus amigos e familiares, para se envolver em um novo projeto. Acima de tudo: ame-se e liberte o ser amado!

Seguir em frente

Você não é menos nem mais do que ninguém por ter passado por uma decepção amorosa. Olhe para frente e procure afastar todos os pensamentos negativos. Você não precisa pedir nem mendigar para ser amada, você merece ser amada pelo que é. O importante é ultrapassar essa fase com autoconfiança e seguir adiante na certeza de que ser feliz é uma decisão pessoal, e isso depende só de você.

Por mais que hoje você não entenda este abandono, não fique buscando explicações que só aumentarão sua dor. Siga sua vida com Deus e esteja aberta, para que Ele a surpreenda novamente com Sua graça!

::Assista a mais vídeos do Play Canção Nova

 

Fonte: https://destrave.cancaonova.com/nao-podemos-mendigar-amor/ 

          https://formacao.cancaonova.com/afetividade-e-sexualidade/afetividade-feminina/uma-mulher-nao-precisa-pedir-nem-mendigar-amor/

 

 

Veja mais

ATÉ QUANDO VOCÊ VAI MENDIGAR O AMOR DAS PESSOAS?

A CASTIDADE NOS ENSINA A AMAR

ENTREGAR-SE A DEUS

ESPERAR PELA PESSOA ADEQUADA

PRISIONEIROS DE NÓS MESMOS

VEJA TAMBÉM:
TELEMENSAGENS DE ANIVERSÁRIO COM FUNDO MUSICAL CATÓLICO

ASSUNTOS RELACIONADOS