Por que a Oração, a esmola e o jejum é tão importante para viver bem a Quaresma?


Nesse tempo litúrgico, em que a Igreja nos convida para um de exame de consciência e conversão. Claro que todo tempo litúrgico é tempo de conversão e não somente no período que se estende entre; a quarta feira de cinzas e o domingo de ramos, mas este tempo, é para nós católicos, mais forte ao clamor: " Completou se o tempo e Reino de Deus está próximo; fazei penitência e crede no Evangelho." (Mc 1,15)

Mas toda ação e convite da Igreja, para este tempo, deve estar permeado do desejo interior e sincero à busca continua do “novo homem”, através de atitudes exteriores, que remetem à um interior convertido, a conversão não é somente um processo de novos costumes, mas uma atitude de vida, que vêm do interior.

No início da Quaresma, que constitui um caminho de treino espiritual mais intenso, a Liturgia propõe-nos três práticas penitenciais de extrema importância à tradição bíblica e cristã – a oração, a esmola, o jejum – a fim de nos predispormos para celebrar melhor a Páscoa e deste modo fazer experiência do poder de Deus que, como ouviremos na Vigília pascal, «derrota o mal, lava as culpas, restitui a inocência aos pecadores, a alegria aos aflitos. Dissipa o ódio, domina a insensibilidade dos poderosos, promove a concórdia e a paz» (Hino pascal).

“Boa coisa é a oração acompanhada de jejum, e a esmola é preferível aos tesouros de ouro escondidos”. (Tobias 12,8)

Todas ás praticas, recomendas pela Igreja neste “tempo”, possuem um dimensão de reconciliação, e busca continua do desapego, ao que feri a unidade do ser com o Criador, e com as criaturas.

Jejum
A prática do jejum, abstinência do alimento, tão recomenda em diversos trechos do AT e NT, e sempre aconselhado pela Igreja, como uma prática de mortificação e piedade, com muitos frutos aos cristãos, é um conselho à reconciliação consigo mesmo, tem a dimensão de nos educar e a sermos “senhores” de nós mesmos. Esta prática deve esta permeada do sincero apelo à mudança de vida, pois não se trata de somente uma atitude exterior, pois seria condenável. “Passais vosso jejum em disputas e altercações, ferindo com o punho o pobre. Não é jejuando assim que fareis chegar lá em cima vossa voz." (Isaias 58,4) ou ainda “Sabeis qual é o jejum que eu aprecio? - diz o Senhor Deus: É romper as cadeias injustas, desatar as cordas do jugo, mandar embora livres os oprimidos, e quebrar toda espécie de jugo.” (Isaias 58,6)

O jejum tem como sua finalidade o desejo sincero de não sermos escravos dos sentidos, mas em entender que existe um sentido maior, em tudo, e que as paixões humanas não nos escravizam, pois buscamos o domínio de nós mesmos, nos penitenciando.

De que jejum estamos falando? Ficar sem comer? O jejum é mais do que o deixar a refeição, ele tem como um ato concreto o não se alimentar, mas é maior do que a privação do alimento, pois o fruto é a busca daquilo que é imperecível, o Bem maior. Existem diversas formas de jejum, que juntamente com a privação do alimento, são convites à conversão, pois, ficar sem a comida e o único fruto disto, for à dor de cabeça, no final da tarde, seria uma prática somente externa, é necessário o jejum constante, o de sempre, daquilo que nos corrompe, nos impede o seguimento e a proximidade conosco e por isso com Deus, no nosso interior, no palácio Real do nosso coração.

Oração

No mesmo pensamento, a oração, tem um fundamento claro de reconciliação, e esta é com Deus, na busca desta intimidade, este colóquio da criatura com seu Criador. “Atende à oração e à súplica do teu servo, Javé meu Deus! Ouve o clamor e a prece que teu servo faz diante de ti.” (II Cronicas 6,19) Com o auxílio de Deus a Igreja nestes séculos, tem diversos mestres e santos, que nos ensinaram tanto sobre esta intimidade com Deus, através da oração na busca da fonte que sacia toda a sede.

Nosso Senhor em sua vida pública, foi mestre de oração e numa via continua de busca da comunhão com Deus pai Criador, Ele mesmo sendo Deus como diz o credo: “Creio em um só Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, unigênito do Pai,da substância do Pai; Deus de Deus, Luz de Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado, não criado, consubstancial ao Pai.” Quantas vezes não se retirava à oração; “Logo depois de despedir as multidões, Jesus subiu sozinho ao monte, para rezar. Ao anoitecer, Jesus continuava aí sozinho.” (Mt 14,23) e no Pai Nosso, nos ensina o fundamento de toda uma vida unitiva e orante com Deus. “Percorrei todas as orações que se encontram nas Escrituras, e eu não creio que possais encontrar nelas algo que não esteja incluído na oração do Senhor (Pai Nosso)” (Sto. Agostinho). A oração do Pai Nosso, ensinada por Cristo, está fundamentada em 7 pedidos que convergem, todas as outras orações da Igreja, e o número 7 nas Escrituras indicam, perfeição e plenitude.

“O Pai Nosso é a mais perfeita oração”. (Santo Tomás de Aquino)

Os pedidos da oração do Pai Nosso; 1o que seu nome seja glorificado, 2o que o seu reino venha a nós, 3o que sua vontade seja feita, 4° nosso pão de cada dia, 5o o perdão dos nossos pecados, 6o a vitória sobre as tentações e o 7o que os livre de todo mal. Santa Teresa ligava os sete pedidos do Pai Nosso aos títulos de Deus dados por nosso amor. No primeiro pedido ela o honra especialmente como seu Pai; no segundo o adora como seu Rei; no terceiro o ama como seu Esposo, no quarto, onde se pede o pão de cada dia, reconhece Jesus como seu Pastor; no quinto como seu Redentor; no sexto como seu Medico; e no sétimo como seu Juiz. Podemos concluir que há diversos modos de meditarmos a oração ensinada por Cristo.

Todo o tempo pode ser dedicado a oração, podemos reserva um momento exclusivo, mas no ensinamento da vigilância: “Vigiem e rezem, para não caírem na tentação, porque o espírito está pronto, mas a carne é fraca”.(Mt 26,41) e como os padres do deserto, entenderam que todo o tempo é tempo de oração, surgiu á devoção da oração bizantina, onde em todos os momentos se pronunciavam, jaculatórias de invocação ao Senhor, a mais comum era: – Senhor Jesus Cristo, Filho do Deus vivo, tende piedade de mim, pecador! Ou a invocação constante do nome de Jesus (Deus salva). Pois nada nos impede de rezar em todo o tempo e lugar, é à busca desta reconciliação constante com Deus e o pedido do auxílio da sua graça sobre nós.

Quisera poder em todos os momentos de oração, estar dentro de catedrais, magníficas, ao som de belíssimos cantos gregorianos, sentindo o perfume do incenso e arrebatados, em profunda comunhão aos mistérios de nossa fé, mas nem sempre esta é nossa realidade e nem por isso podemos deixar de estarmos vigilantes e atentos. "Ao contrário, quando você rezar, entre no seu quarto, feche a porta, e reze ao seu Pai ocultamente; e o seu Pai, que vê o escondido, recompensará você."(Mt 26,41)

Esmolas

Este convite de reconciliação, assim como na via do jejum nos reconciliamos conosco, na oração com Deus e através da esmolas com o próximo, mas uma via unitiva e de comunhão. “Dê esmolas daquilo que você possui, e não seja mesquinho. Se você vê um pobre, não desvie o rosto, e Deus não afastará seu rosto de você.” (Tobias 4,7)

A esmola é uma via de união com Deus através da virtude da caridade, em ato concreto. “Por ora subsistem a fé, a esperança e a caridade - as três. Porém, a maior delas é a caridade.” (1Cor 13,13)

Tanto as Sagradas Escrituras, o Magistério e a Tradição sempre ensinaram de forma eloqüente sobre o dar esmolas, como um ato de louvor a Deus e reconhecimento de que tudo recebemos Dele. Santo Ambrósio nos diz que a esmola é quase um segundo batismo e um sacrifício propiciatório que nos faz obter graça diante de Deus. Diga-me que remorso no juízo para aqueles que desprezam e caçoam dos pobres, quando Jesus Cristo lhes mostrar que foi a Ele mesmo que injuriaram! (Mt 25)

Por menor que seja a nossa oferta de esmolas aos pobres é a intenção que é válida, mas sem perdemos a coerência naquilo que fazemos, se alguém te pede uma esmola para almoçar e você dá 10 centavos, o que ela vai almoçar com esse valor? Isso não é esmola. “Se a um irmão ou a uma irmã faltarem roupas e o alimento cotidiano, e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos e fartai-vos, mas não lhes der o necessário para o corpo, de que lhes aproveitará?” (Tg 2,15-16)

Vemos, que as atitudes de conversão, que o tempo de quaresma nos convida, de jejum, oração e esmolas, não são uma quarentena anual, mas atitudes de vida, de cristianismo, de catolicismo, não basta 40 dias por ano e sim uma vida constante, neste tempo, é preciso reconhecer o quanto nos falta e mudar!

Fonte: https://www.afecatolica.com/products/o-jejum-a-ora%C3%A7%C3%A3o-e-a-esmola/

Por que devo me confessar nesse tempo de Quaresma?

A Penitência é um sacramento que nos auxilia na caminhada nesta estrada difícil rumo ao céu. Jesus veio ao nosso mundo para tirar o pecado; como disse São ...

O que é Via Sacra? Quando surgiu? Qual seu significado e finalidade?

A Via-Sacra, também chamada Via Crucis, é o trajeto seguido por Jesus carregando a cruz, que vai do Pretório até o Calvário. O exercício da Via-Sacra, com...

Eu posso ser melhor e fazer a diferença nessa Quaresma ? Como viver bem esse tempo ?

Quando o mundo despertou no dia seguinte ao Carnaval, deu-se Quarta-feira de Cinzas. Para os mundanos e pagãos, foi mais um dia como qualquer outro. Para ...

Por que 40 dias de Quaresma?

Desde quando se vive a Quaresma? Qual o sentido da Quaresma? O que é a penitência? De que modo a penitência se revela na vida cristã? O que é a conversão...

O que é a Quarta-Feira de Cinzas? E existe tudo isso na Bíblia?

A Quarta-Feira de Cinzas foi instituída há muito tempo na Igreja e marca o início da Quaresma. É tempo de penitência, de oração mais intensa em prepara...

O que é a Semana Santa? E Como viver bem esse momento?

O maior acontecimento da História da humanidade é a Encarnação, Vida, Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo, o Filho de Deus feito homem. Nada nes...

Passagens bíblicas para refletir nesse tempo de Quaresma:

Vamos refletir com as passagens bíblicas sobre o Tempo de Quaresma...

O que é e qual o sentido da Quarta-feira de Cinzas?

A quarta-feira de cinzas é o primeiro dia da Quaresma no calendário cristão ocidental. As cinzas que os cristãos católicos recebem neste dia é um símbolo...

Por que a Quaresma é tempo de voltar para Deus?

O momento favorável é agora! Será que amanhã estaremos aqui? Sabemos que a morte encerra o nosso tempo de se arrepender dos pecados e encontrar Deus, para v...

O que é Penitência Quaresmal?

A razão básica pela qual a Igreja fala de penitência está no amor. E, já que o homem está marcado pelo pecado original, só é possível que ele cresça n...