Por que os Métodos Anticoncepcionais e do Dia Seguinte são Abortivas? e por que a Igreja condena seu uso?


A doutrina da Igreja é muito clara sobre anticoncepcionais: não é permitido o uso de meios não naturais. Veja o que diz o nosso Catecismo; “Aos filhos da Igreja, apoiados nesses princípios, não é lícito adotar na regulação da prole os meios que o Magistério reprova quando explica a lei divina” (GS, 51).

A doutrina da Igreja é muito clara sobre anticoncepcionais: não é permitido o uso de meios não naturais. Veja o que diz o nosso Catecismo; “Aos filhos da Igreja, apoiados nesses princípios, não é lícito adotar na regulação da prole os meios que o Magistério reprova quando explica a lei divina” (GS, 51).A propósito observe-se que os anticoncepcionais truncam a natureza e, por isto, violam a lei natural, que é a lei de Deus. Por isto em caso nenhum se tornam lícitos. Dos métodos naturais o mais seguro é o de Billings (98,5%), que, em vez de sacrificar um só dos cônjuges, une o casal, exigindo a colaboração das duas partes para que mantenham o propósito de continência nos dias fecundos do organismo feminino. “A continência , os métodos de regulação da natalidade baseados na auto-observação e recurso aos períodos infecundos (HV, 16) estão de acordo com os critérios objetivos da moralidade. Estes métodos respeitam o corpo dos esposos, animam a ternura entre eles e favorecem a educação de uma liberdade autêntica.”

Em compensação, é intrinsecamente má “toda ação que, ou em previsão do ato conjugal, ou durante a sua realização, ou também durante o desenvolvimento de suas consequências naturais, se proponha, como fim ou como meio, tornar impossível a procriação” (HV,14), (CIC, 2370). “É de excluir como intrinsecamente desonesta, toda a ação que, ou em previsão do ato conjugal, ou na sua realização, ou no desenvolvimento das suas consequências naturais, se proponha, como fim ou como meio tornar a procriação impossível” (Humanae Vitae, de Paulo VI, 14).

Quando leio os documentos da Igreja sobre este assunto, não encontro uma brecha para exceções. A saída é a do método natural Billings; que os casais muitas vezes não gostam de usar porque não confiam nele; mas que funciona, quando a mulher é treinada. Até a Organização Mundial da Saúde garante o método Billings. Penso que este seja um dos problemas mais difíceis, hoje, a nível pastoral.aborto

Mais informações:
Centro de Planejamento Familiar
tel: (0xx11) 3889-800/3889 8801, SP,
Rua: Bernardino de Campos, 110/conj. 12 cep: 04004-040
Fax: (0xx11)3870 0245

https://www.cenplafam.com/portal/
[email protected]

 

Há quem alegue que, quando o casal não pode seguir os métodos naturais de contenção da natalidade, é lícito o recurso aos anticoncepcionais. – A propósito observe-se que os anticoncepcionais truncam a natureza e, por isto, violam a lei natural, que é a lei de Deus. Por isto em caso nenhum se tornam lícitos. Dos métodos naturais o mais seguro é o de Billings (98,5%), que, em vez de sacrificar um só dos cônjuges, une o casal, exigindo a colaboração das duas partes para que mantenham o propósito de continência nos dias fecundos do organismo feminino.

Via internet, a Redação de PR recebeu a seguinte mensagem, à qual responderá nas páginas subsequentes:

“Em conversa com amigos católicos pela internet, deparei-me com a afirmação abaixo:

“Se houver algum problema que impeça o casal de usar os métodos naturais, a Igreja permite o recurso aos métodos artificiais. Para isso, converse com um padre de sua confiança”.

Isto quer dizer que, quando a mulher tem ciclo menstrual por demais irregular ou existam outros problemas que não permitam ao casal fazer um planejamento familiar responsável mediante os métodos naturais, a Igreja permite o uso dos anticoncepcionais? Caso afirmativo, quem na Igreja tem autoridade para dar a permissão? Qualquer padre? Somente um Bispo? Ou os padres designados para estudar os casos?”.

Respondendo…

Eis o que se deve dizer a respeito:

Comecemos pela pergunta: por que é que os meios artificiais para conter a natalidade não são lícitos e chegam a ter contra-indicações médicas?

A iliceidade não se deve a um decreto da Igreja, mas sim à própria lei natural, que é a lei do Criador. Na verdade, existe uma lei natural anterior à lei dos homens (eclesiásticos ou civis). Observe-se o organismo humano: está sujeito a certas normas para poder viver sadiamente assim à lei da alimentação, e da alimentação bem ponderada (não é lícito comer qualquer coisa atraente);… à lei da respiração (não é possível respirar gás carbônico sem incorrer em graves conseqüências);… à lei do repouso (não há como trabalhar sem descansar adequadamente);… e também às leis da genitalidade: o aparelho genital humano é unitivo (promove a união do marido e da mulher) e é fecundo em certos dias do mês; a natureza torna a mulher fecunda. Em conseqüência, os anticoncepcionais ferem a natureza – o que contraria à lei do Criador. Eis por que a Igreja, fiel ao Senhor Deus, rejeita os anticoncepcionais; estes descaracterizam a sexualidade, proporcionando o gozo de um prazer com detrimento do funcionamento normal da natureza.

É claro, porém, que, quando a natureza é, por si mesma, estéril não há pecado em procurar a cópula sexual. Isto se faz em recursos artificiais ou sem anticoncepcionais.

De resto, a própria medicina e o bom senso reconhecem que a pílula anticoncepcional é nociva ao organismo. Na verdade, é um preparado farmacêutico colocado num organismo que funciona bem, para que não funcione bem. Isto só pode fazer mal.

Por conseguinte, vê-se que a Igreja (bispo ou padre) não pode autorizar o uso de anticoncepcionais em caso algum. Não é facultado à Igreja dizer que é permitido aquilo que a lei de Deus não permite. Se o fizesse, estaria traindo o Senhor Jesus.

A dificuldade que muitos experimentam para aceitar tal posição, está no preconceito de que o uso da genitalidade é um imperativo inexorável, ao qual não se pode escapar sem incorrer em doença. Ora este preconceito freudiano é falso. A genitalidade é uma das expressões da pessoa humana, mas não é a única nem a mais exigente; ela tem que ser inserida no quadro geral da personalidade, que tende a um ideal. Pode alguém professar o celibato ou a vida una e indivisa e sentir-se altamente realizado sem exercer a genitalidade. Faz-se necessário, portanto, vencer o preconceito de que o sexo é imperioso e deve ser praticado em qualquer hipótese.

Alguém perguntará: mas a continência periódica, sem algum anticoncepcional, não é algo de arriscado? Fala-se de “filhos da tabelinha”. – Na verdade, a tabela de Ogino-Knaus está superada; atualmente recomenda-se o método de Billings ou do muco cervical, que tem a garantia de 98,5% de êxito.

Vale a pena transcrever aqui uma página do Dr. João Evangelista dos Santos Alves, que expõe os aspectos positivos dos métodos naturais:

“O método natural não é anticoncepcional porque não utiliza nenhum tipo de contraceptivo, pois respeita as fontes da vida e o processo biológico da reprodução humana, opta pela realização do ato sexual somente no período infértil, com abstenção no período fértil;

– Respeita a mulher e o homem em sua mútua fertilidade, integridade e dignidade;

– Promove o diálogo conjugal, favorecendo o conhecimento mútuo dos cônjuges e uma atitude conjunta e responsável diante da sexualidade;

– Possibilita um controle generoso do número de filhos pelo conhecimento dos períodos férteis e inférteis; a identificação do período fértil favorece a concepção, quando for esse o desejo do casal;

– Valoriza o amor conjugal, reforçando a união de almas e o entendimento mútuo, a fim de possibilitar a periódica abstenção sexual;

– Enobrece a sexualidade humana, assumindo-a, ambos, como fonte de amor mútuo e não de egoísmo, e respeitando sua natureza e finalidade intrínsecas…

A Medicina, como qualquer outra ciência, tem que ser orientada pela Filosofia, que a subordina a valores éticos. Não está a Medicina obrigada a realizar tudo o que a tecnologia possibilita fazer; pelo contrário, existem limites éticos que resguardam valores fundamentais, universais e perenes.

E aqui está a grande diferença entre a Ciência Médica e as outras ciências naturais: a dignidade de sua matéria de trabalho, que na Medicina é o próprio ser humano e nas outras ciências naturais são os seres irracionais e os seres inanimados.

O ser humano constitui a finalidade de todas as ciências, mas para a Ciência Médica, além de ser o fim, o ser humano constitui também o meio, a sua matéria de trabalho.

Assim, ao contrário dos médicos, os demais cientistas, trabalhando para o bem da humanidade, podem e devem – resguardada a preservação da natureza – fazer quase tudo que a tecnologia moderna possibilita que façam, pois o material que manipulam é destituído de tão grande dignidade, encontrando-se a serviço do homem: os átomos, as moléculas, os minerais, vegetais, animais, etc.vidasexualnocasamento

Já os médicos, eticamente, não podem e não devem fazer tudo o que a tecnologia possibilita que façam, pois sua matéria de trabalho é o seu semelhante, é o próprio ser humano a quem devem servir e respeitar.

O abandono desta filosofia implica em regressão e desvalorização da própria ciência e em desrespeito à dignidade da natureza humana. Não é possível promover a vida humana desvalorizando-se a própria natureza da vida que se quer promover” (Direitos Humanos, Sexualidade e Integridade na Transmissão da Vida, em A Vida dos Direitos Humanos, coletânea organizada por Jaques de Camargo Penteado e Ricardo Henry Marques Dip. Porto Alegre 1999, pp. 248-250).

Revista: “PERGUNTE E RESPONDEREMOS”
Dom Estevão Bettencourt, osb
Nº 450 – Ano 1999 – p. 523

 

 

VEJA MAIS AQUI:

 

O que diz o Catecismo da Igreja sobre o anticoncepcional?

https://cleofas.com.br/o-que-diz-o-catecismo-da-igreja-sobre-o-anticoncepcional/

É proibido o uso de anticoncepcionais?

https://cleofas.com.br/e-proibido-o-uso-de-anticoncepcionais/

Namoro e anticoncepcional

https://cleofas.com.br/namoro-e-anticoncepcional/

Se os casais católicos não podem evitar filhos, para que serve o Método Billings?

Atenção, Método Billings não é uma Camisinha Católica. Pode parecer contraditório, mas muitos jovens católicos que optam pela vocação do matrimônio d...

Curso Completo do Método de Ovulação Billings (MOB)

Aprenda passo a passo como usar esse maravilhoso método Natural, 100% seguro e para espaçamento de filhos, caso seja por motivos graves, pois vale lembrar que...

Conheça os 7 perigos gravíssimos da Pílula Anticoncepcional

Além de causar abortos ocultos com frequência, essas pílulas causa várias doenças, vamos lhe contar 7 delas, que são as mais perigosas....

Encontre aqui um Instrutor para te ensinar o Método Billing

Encontre logo abaixo um instrutor especialista em Método Billing para te ensinar a usar esse maravilhoso método para espaçar a número de filhos no casament...

Aprenda o Método Billing Passo a Passo para espaçar a quantidade de filhos

Aprenda de uma vez por toda esse maravilhoso método natural que a Igreja pede para os casais usarem para espaçar o número de filhos no matrimônio, já ...

Usar métodos contraceptivos(camisinha, pílulas e cirurgias) com o namorado ou esposo é pecado grave?

Sim. Pecado Gravíssimo. Primeiro porque fere o quinto mandamento da Lei de Deus que é não matar. Os anticoncepcionais têm um efeito abortivo que muitas mu...

O DIU também é Abortivo

Além de matar o embrião, o DIU produz efeitos \"secundários\" e esterilidade provocados por seu uso, chegando em alguns casos, inclusive à morte da usuár...

Médica com mestrado e doutorado em farmacologia explica por que os Anticoncepcionais são abortivos

Ana Derosa é Doutora com mestrado e doutorado em farmacologia pela Universidade Federal de Santa Catarina e explica em 8 minutos os graves perigos para a cria...

Entenda porque quem toma Anticoncepcional está cometendo Abortos Ocultos

Você é contra o Aborto? Então tome consciência que os Anticoncepcionais fazem abortos Ocultos. Usando um simples Anticoncepcional, você mulher pode est...

Médica Ginecologista explica porque os anticoncepcionais além de abortivos, é um veneno muito forte para a mulher

A Ginecologista Dra Fabíola, especialista em métodos contraceptivos, explica também o por que do Método Billing ser o mais seguro....

Por que para a Igreja é pecado gravíssimo operar para não ter mais filhos?

Esta é uma prática gravemente imoral e condenada pela Igreja porque vai contra a natureza Humana e quebra toda finalidade do sexo criada por Deus, que é pro...

Qual o formato de uma criança de 5 semanas de Gestação(1 mês e 1 semana) ?

Muitos se enganam quando pensam que cinco semanas de gravidez é só uma bolinha de sangue. Já é uma pessoinha. Compartilhe, Derrepente pode ter alguém nesse...

Provas Lógicas e Científicas que os Anticoncepcionais são Abortivos

Veja as explicações sobre a ação dos anticoncepcionais, que causa abortos ocultos....

BOMBA: Padre faz um Alerta Gravíssimo para quem usa Pílulas Anticoncepcionais

Padre Paulo Ricardo alerta e explica tudo sobre os abortos ocultos que ocorre com frequência para quem faz do uso de anticoncepcionais....

Sexo sem Contracepção? Método de Ovulação Billings? É igual a tabelinha?

Esse é um método natural chamado Método de Ovulação Billings (MOB) e muito diferente da tabelinha, e que até a Organização Mundial da Saúde garante o...

Veja um vídeo do Coração batendo de um Embrião de apenas 1 mês de Gestação

Com apenas 6 semanas(1 mês e 2 semanas) de gestação, uma mãe pode escutar os batimentos cardíacos do seu bebê através de uma ultrassonografia. Entretanto...

Quando a vida começa? Na concepção ou depois dos 9 meses? A Ciência responde

No início do seu artigo, Dumitru pergunta: “Quando a vida começa?”. E logo explica que a ciência já respondeu tal pergunta de maneira “forte e clara...

Provas que as Pílulas Anticoncepcionais mata Crianças

A maioria das mulheres que usam pílulas anticoncepcionais não sabem da horrível realidade que se esconde por trás desta prática: Abortos Ocultos. Assista o...

A Igreja e os anticoncepcionais

Você, que é a favor da vida, sabia que os anticoncepcionais à disposição no mercado, além de impedirem a fecundação, também provocam \"abortos ocultos\...